Novo estudo explora como a economia circular pode enfrentar a perda de biodiversidade

September 16, 2021

A Fundação lançou no dia 8 de setembro o seu primeiro estudo sobre a biodiversidade, "O Imperativo da Natureza: Como a economia circular pode enfrentar a perda de biodiversidade", que explora as ligações entre a biodiversidade e a economia circular.

Ter uma biodiversidade abundante é fundamental para manter os ecossistemas e as vidas saudáveis em nosso planeta. No entanto, a biodiversidade está se perdendo a um ritmo sem precedentes, ameaçando o nosso bem-estar econômico e humano mundialmente. Mais de 90% da perda de biodiversidade se deve à extração e ao processamento de recursos naturais - uma consequência da atual economia linear, que é degradante, desperdiçadora e poluente. O nosso último estudo, "O Imperativo da Natureza: Como a economia circular pode enfrentar a perda de biodiversidade" explica como a economia circular pode nos ajudar a deter e reverter a perda de biodiversidade, além de apoiar os esforços de conservação para reverter a tendência atual em direção a um futuro positivo para a natureza.

Transformando a forma como produzimos e usamos produtos e alimentos, a economia circular tem um papel importante a desempenhar na redução da perda de biodiversidade significativamente.

  1. Eliminar o desperdício e a poluição - reduzir as ameaças à biodiversidade
  2. Circulação de produtos e materiais - para deixar espaço para a biodiversidade
  3. Regenerar a natureza - para permitir que a biodiversidade prospere

O estudo mergulha profundamente no papel de 4 setores - alimentos, ambiente construído, plásticos e moda -, compartilhando com empresários e decisores políticos formas convincentes de se acelerar a mudança para a economia circular e um sistema que seja positvo para a natureza.

A transformação já está em andamento. Leia o estudo para conhecer os principais exemplos de todo o mundo: soluções de economia circular que estão sendo usadas para atender às ambições de biodiversidade e clima.


Retornar a notícias >>

We have detected that you are using an older browser. Please update to the latest version of Google Chrome, Mozilla Firefox or Microsoft Edge to improve your user experience.

If you are unable to upgrade your browser, please see our Technical FAQ page to get tips on how to improve your user experience.